Zona quente e zona fria – como fazer a disposição de uma loja

Todos os móveis, pontos de iluminação e produtos, devem ter uma disposição atraente para o cliente, levando-o à comprar. Para apresentar um ambiente atrativo, é necessário criar uma espécie de “caminho” que seu cliente irá seguir.

O caminho percorrido pelo cliente começará pela entrada da loja (claro! haha), a entrada deve ser um ponto de atração, mas não deve bloquear o cliente. Tudo o que queremos é que ele percorra a loja toda, não é mesmo?! A entrada sempre estará em uma zona quente da loja.

zona-quente-e-zona-fria-no-PDV
Foto: boasvendas.uatt.com.br

Já dentro da loja, o cliente tende a seguir o “caminho” criado pela disposição de móveis e pontos de iluminação.  O inicio sempre vai ser em uma zona quente, te levando para uma zona fria e, posteriormente, te direcionando para a zona quente novamente (assim como na ilustração acima).

Zona fria é a zona menos acessível e menos visitada. Nessa parte, colocaremos os produtos de compras mais frequentes, sendo assim, o seu cliente deverá ir no sentido dessa zona. Os produtos de maior rotatividade (as novidades), também devem sem encontrados na zona fria. Nessa zona, devemos colocar:

  1. Manequins (com combinações especiais que que chamem a atenção para essa zona);
  2. Móveis expositores (próximos a esses manequins e com as peças que os manequins estão vestidos);
  3. Araras (para pendurar as roupas e que, assim seja possível vê-las em sua totalidade);
  4. Provadores (se encontram no fim dessa zona).

Já a zona quente é a zona mais acessível e visível da loja. Ela tem muita circulação de clientes e, nessa parte, colocaremos os produtos de compras menos frequentes. Nessa zona, deveremos colocar:

  1. Móveis expositores (logo depois dos provadores – concentraremos aqui,  móveis expositores e não em manequins);
  2. Caixas (nesse espaço é interessante colocar mercadorias de compras impulsivas, para que o cliente os veja enquanto está na fila para pagar);
  3. Vitrine fechada (na parte do caixa, é interessante que se tenha uma parede lisa com a logo da loja, para que os movimentos feitos com o dinheiro não sejam vistos)
  4. Ponto de atenção (no fim da zona quente deveremos criar um ponto que chame a atenção do cliente, para que ele sinta vontade de voltar na loja –  nesse ponto podem ser expostos manequins, por exemplo).

-BÔNUS- Além da disposição no ambiente da loja, também devemos levar em consideração os quatro níveis de exibição:

  1. Nível da cabeça (1.8 a 2 metros): A visualização não é direta, por isso mesmo, é necessário encontrar uma forma de potencializar esse espaço;
  2. Nível dos olhos (1.3 a 1.8 metros): É o nível mais atrativo! A visualização é direta e representa 52% das vendas;
  3. Nível das mãos (0.8 a 1.3 metros): É o nível no qual o cliente chega ao produto de forma direta, não apresenta problemas de visualização. É importante estar em um lugar de alta rotação, uma vez que não tendemos andar olhando pra baixo;
  4. Nível dos pés (0.3 a 0.8 metros): A visualização não é direta e nem de fácil acesso, por isso mesmo, deve sem potencializadas.
Anúncios

2 comentários sobre “Zona quente e zona fria – como fazer a disposição de uma loja

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s