Moda e natureza ligados

Negócios da Moda: 6 macro tendências que você deve saber

Apresento agora uma lista com 6 macro tenências nos negócios da moda, as quais são indispensáveis para compreender qual o caminho que a moda está seguindo no mundo. Já escrevi em outros momentos sobre essas tendências, entretanto estava sentindo falta que passar para vocês a informação de forma conjunta para facilitar a compreensão.

O primeiro que vale ressaltar é que nesse post AQUI eu expliquei por que algumas dessas macro tendências realmente representam uma revolução na moda.

1- Democratização do conteúdo

A maioria das macro tendências atuais são influenciadas diretamente pela democratização do conteúdo. Hoje, não é só a jornalista da Vogue que vê um desfile ao vivo, todo o público tem acesso ao desfile através da internet, seja por videos ou postagens nas redes sociais.

Os consumidores estão se sentindo mais presentes no ciclo da moda, dão opinião e querem que as roupas venham tão depressa quanto as informações, daí vem a segunda macro tenência…

2- See-now, buy-now (veja agora, compre agora)

See-now, buy-now” se refere a estratégia na qual as roupas vão direto do desfile (ou outro tipo de apresentação da coleção) para o comprador. As maiores referências na moda já estão adotando esse método, inclusive o São Paulo Fashion Week.

As pessoas não querem mais esperar messes para terem as roupas que viram nos desfiles. Estamos vivendo em uma dinâmica de mercado extremamente veloz com a ajuda das redes sociais e do fast fashion, com isso, os consumidores adoraram comportamentos mais imediatistas.

O e-commerce (venda online) pode ser o grande aliado para os que optarem em adotar essa estratégia. AQUI você poderá ler o que Nicolas Pickaerts, diretor de e-commerce da MatchesFashion.com, disse sobre o que é importante para manter uma loja online de moda.

3- Sustentabilidade + Tecnologia

As pessoas estão se importando mais com a sustentabilidade, mas a verdade é que nem todos querem mudar seu estilo de vida por isso. Logo, a solução mais promissora adotada pelo mercado é associar a sustentabilidade com a tecnologia.

Ao considerarmos grandes marcas comerciais, temos a Adidas que lançou tênis feito 100% com plástico retirado do mar e a Levi’s está criando calças feitas com camisas recicladas. Mas também existem estilistas como Suzanne Lee, que criou um tecido feito de chá verde (da até para você fazer lo seu em casa, veja a receita AQUI).

zapatillas
Tênis Adidas feito 100% com plástico retirado do oceano

4- Novos “desfiles”

A apresentação das coleções estão mudando, muitos defendem que as semanas de moda estão chegando ao fim, estão surgindo outras formas de apresentar a coleção para o público.

Tom Ford, por exemplo, já abandonou as passarelas uma vez para apresentar sua coleção em um clip com a Lady Gaga. Já em terras brasileiras, a Osklen apresentou sua última coleção no SPFW através de uma exposição sensorial onde os convidados puderam tocar as roupas e ver,por um tablet, os modelos usando as peças.

Exposição da coleção 2017 da Osklen, roupos ao lado de tablets
Osklen – exposição da coleção verão 2017

5- Moda Agender (moda sem gênero)

A moda sem gênero é uma representação da contemporaneidade e os consumidores sempre querem se sentir à um passo a frente, por tanto, essa estratégia tende a rentável no curto prazo e uma nova construção para a moda no longo prazo.

A tendência da moda sem gênero está ai, dando beijos na cara da sociedade! Não só as marcas de prêt-à-porter, mas também as de fast fashion estão adotando a estratégia. A C&A, por exemplo, lançou sua coleção de moda agender com comercial especial para o dia dos namorados.

6- Adeus estações!

Vivemos um um mundo globalizado, não sabemos se nosso cliente vai estar no Brasil ou no Japão usando nossas criações, consequentemente dividir as coleções por estações primavera/verão e outono/inverno já não condiz mais com a realidade global dos negócios. Além da globalização, as mudanças climáticas se transformam em uma segunda razão para não separar as coleções com peças para serem usadas “no calor” ou “no frio”. A Burberry, por exemplo, adotará as coleções “Fevereiro” e “Setembro” no lugar das usuais divisões por estações do ano.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s