Plantação de algodão

Algodão: Um vilão na indústria têxtil?

Desde criança escuto minha mãe dizer que “calcinha que faz bem para o corpo da mulher é a de algodão”. Assim como para minha mãe, muitas outras pessoas associam o algodão a algo “natural” e “saudável”. Quando nos embasamos nesses esteriótipos, esquecemos de nos perguntar: Qual é o efeito que a produção de algodão causa no mundo?

Infelizmente, a resposta não é boa! Há uns bons anos atrás, a Monsanto, empresa que faz agrotóxicos e afins, começou a vender sementes transgênicas de algodão BT, gerando plantas transgênicas contendo genes do Bacillus Thuringiensis que produzem toxinas inseticidas. Com isso, pessoas morreram e o muito solo desse mundo foi contaminado!

Na Índia, por exemplo, mais de 300 mil agricultores se suicidaram entre 1995 e 2013 em consequência da nova forma de plantio gerado pelo algodão BT. Esse agricultores não conseguiram manter as condições especiais na plantação que o algodão BT requer e se encontram desfalcados economicamente, porque essa semente é 8.000% mais cara que a tradicional. Não é o algodão o vilão dessa história, o real problema é a utilização sementes transgênicas e pesticidas químicos no momento da plantação (Monsanto!!!).

Plantação de algodão na Índia

Os impactos podem ser cruéis, mas primeiramente devemos entender as diferenças entre os tipos de algodão e seus impactos:

  • Algodão Convencional: 90% da oferta mundial do algodão convencional é geneticamente modificada. Para criar 1kg de  algodão, usamos 30.000 litros de água, ou seja, 2.700 litros de água para produzir uma camiseta de algodão.
  • Algodão BCI (Better Cotton Initiative): É um algodão mais barato que o orgânico e que é produzido com base em ações sustentáveis (usa menos água e pesticidas, além de buscar promover relações justa de trabalho entre seus produtores).
  • Algodão orgânico: Utiliza apenas pesticidas naturais (oriundos de plantas) em sua plantação, além de reduzir a quantidade de água e emissão de gases. Para que um algodão seja orgânico, ele deve passar por uma cerificação oficial.

O uso de algodão orgânico e BCI já se tornaram uma tendência no mundo da moda, muito graças a megatendência conscientização da responsabilidade (veja mais sobre essa megatendência AQUI). Até mesmo empresas de fast fashion estão adotando esse tipo de material para sua produção, veja o vídeo que apresenta a postura da C&A alemã:

A C&A Brasil também já está adotando estratégias nessa área. A empresa está incentivando o plantio de algodão orgânico no nossa país, uma vez que ela é a maior consumidora desse produto no mundo, já vende desde 2012 roupas produzidas com algodão orgânico no Brasil e pretende que 100% das suas roupas em 2020 sejam feitas com fibra sustentável ou orgânica.

Para uma rede de fast fashion (típica empresa que busca o lucro dos acionistas) colocar como meta ter 100% da sua produção com tecidos sustentáveis, é porque essa estratégia se fez necessária e rentável. Então, se você tem dúvidas em relação ao tipo de algodão que deve usar para produzir suas roupas, lembre-se da C&A! Adotar fibras ecologicamente corretas para as roupas faz bem para o mundo e trará retorno para seu bolso 😉

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s